Federação

Especial aniversário FPF – 103 anos

A entidade comemora antecipadamente mais um aniversário. Acompanhe nossa série especial.

img

Para dar continuidade a nossa série especial de aniversário da FPF, nesta quarta-feira (13), vamos falar sobre a conquista da Liga Sportiva Pernambucana (LSP), em ter a sua sede própria, após mais de 35 anos de peregrinação. A casa que hoje é o empresarial Rubem Moreira, era simples, modesta, de apenas uma porta e duas janelas. Naquela época a casa havia sido comprada por Cr$ 300.000,00, à vista, com recursos próprios da entidade, que investiu muitos outros cruzeiros para adaptar o prédio às necessidades da entidade.

Em março de 1968, tratores, empilhadeiras, pás mecânicas e operários da Construtora Jorge Martins transformaram em escombros aquilo que fora um deslumbramento para os olhos do desportista Inaldo Cerqueira. Tudo virava pó. Da velha casa 871 só restava o chão. Ali, naquele local, deveria ser erguido brevemente o Palácio dos Esportes. Assim prometia o presidente da Federação, Rubem Moreira, em 2 de maio de 1968, dia em que o governador do Estado, Nilo de Souza Coelho, lançava a pedra fundamental da monumental obra.

Para dar início a construção da imponente sede vieram recursos de todos os lados. Com o seu prestígio junto aos poderes públicos, veio dinheiro através de subvenções dos governos federal, estadual e municipal, e do próprio futebol de Pernambuco.

O presidente Rubem Moreira conseguiu que a assembleia geral dos clubes lhe autorizasse a fazer um desconto por ingresso, em jogos do campeonato ou amistosos, em benefício da construção do Palácio dos Esportes. O Relatório Geral da FPF – 1971 registra que o Palácio dos Esportes custou Cr$ 2,4 milhões, conforme consigna o Boletim da CBD, ano 3, número 20.

Em junho de 1972, a capital pernambucana viveu uma semana inteira de celebrações. No dia 05, o Estádio José do Rego Maciel foi inaugurado e no dia 09 foi a vez da inauguração da sede da Federação para o povo recifense. Dois dias depois, no domingo 11, iniciavam-se os jogos da Mini Copa, competição promovida pela Confederação Brasileira de Desportos (CBD) para comemorar os 150 anos de Independência do Brasil.

No dia da inauguração, jornais recifenses publicaram duas notas oficias a pedido da Federação. A primeira convidava os desportistas para assistirem uma missa solene em Ação de Graça, alusiva ao acontecimento, na Matriz de Santo Antônio. Já a segunda nota convidava os desportistas, para assistirem, na Assembleia Legislativa do Estado, a entrega do título de Cidadão de Pernambuco ao presidente da CBD, João Havelange.

No mesmo dia à noite, a sede da entidade foi finalmente inaugurada e recebeu ilustres convidados. Coube ao governador do Estado, ministro Eraldo Gueiros Leite, em companhia dos presidentes da Confederação Brasileira de Desportos e do Conselho Nacional dos Desportos, respectivamente, João Havelange e brigadeiro Jerônimo Bastos, cortar a fita simbólica sob muitas palmas. Rubem sentia-se realizado e orgulhoso de poder despachar na mais suntuosa entidade esportiva do país.

De 1995 até 2011, a FPF foi presidida por Carlos Alberto Gomes de Oliveira. Nesta administração, foi realizado um grande trabalho de interiorização do futebol profissional. Uma conquista do então presidente, entre muitas, foi conseguir que os jogos do Campeonato Pernambucano de Futebol fossem transmitidos pela Rede Globo Nordeste, fazendo de Pernambuco o quarto estado brasileiro a ter seus jogos transmitidos em programação local e nacional. 

______________________________________________________________________________________________________________________

Nesta quinta-feira (14), vamos falar sobre o trabalho do presidente Evandro Carvalho à frente da FPF e sobre as inovações trazidas pelo dirigente em prol do futebol pernambucano.